segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

PIZZA SEM GLUTEN DA VEGANANA


Deliciosa massa muito fácil de preparar. Em poucos minutos você pode ter esta delicia pronta para ser saboreada. Invente a cobertura que preferir, use o que tem disponível na geladeira. As farinhas sem glúten utilizadas podem variar também de acordo com o que você tiver disponível em casa. Qualquer farinha sem glúten é perfeita para esta receita. Basta seguir as quantidades e modo de preparo.





Use a cobertura que preferir, molho, legumes, ervas frescas e secas, temperos.  Eu aproveitei uma sobra de pasta de berinjela que tinha e fiz a base da cobertura da pizza. Você pode usar apenas molho de tomates e colocar os ingredientes da cobertura sobre o molho. A pasta de berinjela é apenas uma sugestão.


INGREDIENTES PARA A MASSA

6 colheres de sopa de farinha de tapioca (ou polvilho)
10 colheres de sopa de farinha de grão de bico (ou outra sem glúten de sua preferencia)
1 colher de chá de fermento em pó (fermento de bolo)
1/2 xicara de agua em temperatura ambiente
1 colher de sopa de óleo vegetal
pimenta preta moída na hora (opcional, apenas para perfumar a massa)
1 colher de chá de sal (ou a seu gosto)

PREPARO

Em uma bacia misture todos os ingredientes secos e adicione a agua aos poucos mexendo sempre. Por último coloque o óleo e misture bem. O resultado deve ser uma massa encorpada porem maleável para que você possa espalhar na forma.

Unte uma forma de pizza, coloque a massa no meio e espalhe com as mãos molhadas ou então com uma colher. Tem que molhar senão a massa gruda. Eu fiz com as mãos e fui molhando quando necessário para poder espalhar a massa com mais facilidade na forma.

Leve a massa para assar em forno pré-aquecido em temperatura de 200C. Enquanto isto prepare os ingredientes para a cobertura.


INGREDIENTES PARA A COBERTURA


1 tomate bem maduro
1/2 xicara de cogumelos previamente refogados
1/2 xicara de pasta de berinjela (opcional) *
pedaços de tofu amassados ou outro queijo vegano
orégano seco na quantidade desejada
pimenta do reino moída na hora
páprica defumada em flocos (opcional)
folhas de orégano fresco (ou manjerona)

PARA A PASTA DE BERINGELA

Assei uma berinjela no forno com casca apenas fazendo furinhos espalhados pela berinjela e coloquei em uma forma untada com óleo vegetal. Assei ate ficar bem macia.Depois disto eu deixei esfriar e cortei em pedaços grandes mantendo a casca. Bati no liquidificador com sal, pimenta, caldo de limão e uma colher de sopa de azeite de oliva. Pronto, ficou sensacional.... Sobrou um pouco e eu usei para a pizza....   fica a dica, mas isto é opcional, você pode usar a cobertura que preferir.

Leve o tomate ao liquidificador apenas com uma pitada de sal e um fiozinho de óleo. Bata bem até obter um creme uniforme.

Quando a massa estiver pré-assada, mais ou menos uns 10 ou 15 minutos de forno, retire e espalhe este molho de tomates sobre a massa. Moa pimenta espalhando sobre o molho e salpique um pouco de páprica defumada se for utilizar. Leve ao forno novamente e deixe por uns 5 minutos. Então retire novamente do forno e coloque o restante dos ingredientes com exceção das ervas frescas que deverão ser colocadas antes de servir. Espalhe a pasta de berinjela sobre o molho de tomates, coloque as fatias de cogumelos e os pedacinhos de tofu esmagados. Espalhe orégano seco, um pouco de pimenta moída (opcional) e leve ao forno novamente por mais ou menos 5 minutos, ou ate que a os ingredientes da cobertura estejam douradinhos. Retire do forno e coloque as folhas de orégano fresco ou manjerona. Pronto, agora e só saborear esta delicia.


FONTE: http://blog.veganana.com.br/2013/05/pizza-de-tofu-e-cogumelos-sem-gluten.html

CUIDADO COM O QUE VOCÊ COME

Cuidado com o que voce come!!! Não é porque é sem gluten que faz bem à sua saúde! O macarrão de arroz (sem gluten) tem escrito na embalagem que contem EMULSIFICANTE E471. Ele é frequentemente utilizado como um agente de anti-endurecimento em produtos de panificação, como pães, bolos e tortas. Ele também pode ser encontrado em batatas fritas, coberturas para sobremesas, cremes em aerossol, creme em pó, margarina e sorvete. Ele é derivado de origem animal! Voce sabia?

As consequências: "inúmeras patologias, dentre elas alergias, hiperatividade, podem ser ocasionadas por tais aditivos." veja mais em http://www.ecologiamedica.net/2011/12/aditivos-alimentares-e-seus-maleficios.html

domingo, 18 de fevereiro de 2018

QUEIJO VEGANO

Queijo de Macadâmia e Ágar-ágar (vegana)

Queijo de Macadâmia e Ágar-ágar (vegana)
Ingredientes

1 e 1/2 xícara de água
5 colheres (chá) de ágar-ágar em pó (use colher de chá de medidor com 5ml, não a do jogo de talheres)

1/2 xícara de macadâmia (Sim, macadâmia. Eu tentei tudo quanto é tipo de castanha e dá uma diferença grande no gosto. Mas a amêndoa sem pele serve também. Castanha-de-caju eu achei que fica estranho)
Suco de 1 limão (e isso é meio gosto, depende do limão, etc.)
1 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de levedo de cerveja
1 colher (sopa) de azeite
1 pitada de cúrcuma (açafrão da terra) para dar cor (opcional, se não colocar fica branquinho)

Preparo

Bata a castanha com sal, levedo de cerveja e açafrão no liquidificador até virar um pó fino. Misture a água com o ágar e ferva por uns dois minutos, mexendo. Ligue o liquidificador de novo, adicione o azeite e o ágar recém tirado do fogo (tem que se rápido, ágar endurece rápido), bata tudo, vai acrescentando o limão e prova. Coloque num pote redondo untado com azeite e deixe em geladeira até endurecer. Pode ser cortado em fatias ou ralado em tiras.

SORVETE NATURAL

Sorvete de frutas congeladas: receita da Bela Gil



Ingredientes:
2 bananas d’água bem maduras
12 morangos frescos

Modo de preparo:
Descasque as bananas e coloque-as junto com os morangos no congelador (o ideal seria de um dia para o outro). Bata as frutas no liquidificador ou no processador de alimentos até virar um sorbet (o irmão do sorvete, feito à base de frutas, sem leite ou creme de leite). Sirva imediatamente.

Rendimento: 2 porções
Nível de dificuldade: Fácil

Fonte: http://gnt.globo.com/receitas/receitas/sorvete-de-frutas-congeladas-receita-da-bela-gil.htm

sábado, 17 de fevereiro de 2018

REMÉDIOS CASEIROS PARA O NERVOSISMO






Muitos alimentos e bebidas são considerados como “antinervos”. Alguns deles são:

Beber uma xícara de suco de laranja com duas colheradas de mel e uma de noz moscada.
Ralar duas cebolas e misturar com duas xícaras de aipo picado. Comer como salada junto com outros ingredientes.

Embeber umas 15 amêndoas em água por toda a noite. Descascá-las e fazer uma pasta com uma colher de noz moscada e uma pitada de gengibre. Ingerir antes de ir dormir.

Consumir alface em saladas, junto com azeite de oliva, principalmente para o jantar. Muitos consomem também o suco de alface, fervendo algumas folhas.



Ervas e plantas para o nervosismo

Ginseng: atacam a depressão e reduzem o estresse. Reforça de maneira natural o sistema nervoso.

Erva de São João ou Hipérico: é um tônico reparador do sistema nervoso, sendo útil para os tratamentos para depressão. Consumir uma colher de flores trituradas duas vezes por dia.

Borragem: serve para equilibrar o excesso de hormônios que são produzidos pelo estresse. Beber uma infusão realizada com uma colher de folhas secas por xícara de água.

Valeriana: uma das mais conhecidas ervas para os nervos, assim como também para reduzir palpitações, espasmos, insônia e estresse. Beber uma infusão de 15 g da raiz da planta diariamente.

Ulmária: seu aroma possui propriedades sedativas e calmantes para os nervos. Beber um chá com duas colheres de sua flor por xícara de água depois das refeições.

Cardamomo: é utilizado para diferentes estados nervosos. É colocado no chá ou em sobremesas. Também é utilizado para o café, este não é recomendado para aqueles que sofrem com o nervosismo.

Boldo: possui efeitos sedativos e calmantes. Beber uma infusão com 2,5 g de folhas secas por 100 mL de água, antes de ir dormir.

Alfavaca: tranquiliza e reforça o sistema nervoso. Beber uma infusão de uma colher de folhas secas por xícara de água, depois das refeições principais.

Passiflora (ou flor de maracujá): ideal para os casos de insônia e para acalmar os nervos por exigências do trabalho, provas, etc. beber duas xícaras por dia de uma infusão feita com algumas colheres da planta seca e meio litro de água.

Melissa: excelente para as alterações do sistema nervoso. Beber uma xícara feita com um punhado de folhas secas e água fervendo, três vezes por dia.

Manjerona: possui efeito sedativo, por isso é utilizado para o estresse, o nervosismo e a insônia. Beber três xícaras por dia de chá, cada uma feita com 5 g de folhas secas e água fervendo.

Tratamento e prevenção do nervosismo

Além de aproveitar as virtudes dos remédios caseiros para o nervosismo, é bom também realizar atividades relaxantes, como tomar um banho de imersão, tomar um tempo para descansar de tudo e de todos, praticar yoga ou fazer meditação. Ou simplesmente, sentar na grama com os olhos fechados e prestar atenção unicamente à respiração. Ler um livro de autoajuda, desfrutar de uma sessão de massagens, escutar música instrumental ou o som do mar, beber um chá ou olhar pela janela quando estiver chovendo, podem ser atividades relaxantes. Muitos proprietários de gatos indicam que sentar ao sofá com sua mascote no colo serve para acalmar os nervos e as preocupações (graças aos seus ronronados).

Aproveita as vantagens da aromaterapia para acalmar os nervos. A fragrância do óleo essencial de laranja é muito boa. Inale o vapor de água fervida com umas gotas do óleo. Também são bons os extratos de onagra, lavanda, melissa e flor de maracujá.

As ações preventivas para os nervos são a chave para evitar episódios graves.  O melhor o que você pode fazer é averiguar o que está causando essa sensação ou situação. Pensar em uma solução possível e se não existe nenhuma, então, deixar de se preocupar. Para poder se dar conta do inconveniente é preciso que a mente esteja livre, descansada e relaxada. Lembre-se que os nervos são uma resposta natural do corpo que indica que algo não está bem. Escute e observe os sinais que o organismo te dá.

Fonte: http://melhorcomsaude.com/remedios-caseiros-para-o-nervosismo/

O QUE É CALDA DE AGAVE AZUL?


Vale a pena experimentar! É natural, orgânico, substitui o açúcar, o mel e é pouco calórico!

Fonte: http://www.sitiodomoinho.com/produtos-novos/adocante-natural-calda-de-agave-organico

terça-feira, 25 de julho de 2017

ALIMENTAÇÃO PARA A TIREÓIDE

Alimentação com foco na tireoide






Alimentos benéficos:
·         Fontes de ômega 3, selênio, zinco e magnésio, óleo de coco, frutas, sal (Himalaya, flor de sal ou sal Kosher), Quinoa, vitamina D, Castanha do Pará.
·         Sal não refinado, algas marinhas, peixe (de águas profundas), abacaxi, alcachofra, aspargos e uma série de verduras de coloração mais escura (SEMPRE COZIDOS).

·         Consuma grãos, cereais e sementes integrais que tenham sido deixados de molho por 7 a 24 horas, em água com gotas de limão. Faça isso com o feijão, arroz integral, grão-de-bico, lentilhas e todos os grãos e cereais que você consumir. Esse procedimento neutraliza substâncias potencialmente prejudiciais à tireoide, denominadas antinutrientes. O único grão que não obedece essa regra é a soja, pois seus antinutrientes não são neutralizados por tais procedimentos. Por essa razão, seu consumo deve ser evitado ao máximo!


Alimentos que devem ser evitados:
·         Soja e derivados (leite de soja, tofu etc)
·         Embutidos, enlatados, conservantes e corantes.
·         Açúcar e Farináceos

·         Óleos Vegetais Comuns (canola, milho, soja, margarina, etc)

Quase todos os alimentos industrializados, incluindo pães, bolachas, biscoitos, salgadinhos, batatinhas, molhos, doces, produtos com zero colesterol, maioneses, sorvetes e cereais matinais, contêm gorduras vegetais poliinsaturadas e/ou hidrogenadas.

·         Certas Verduras Cruas

Algumas verduras cruas contêm substâncias naturais chamadas glucosinolatos, que podem interferir negativamente com a produção de hormônios da tireóide. Entre essas verduras estão o repolho, brócolis, couve, couve-de-bruxelas, couve-flor e espinafre. Basta cozinhar essas verduras, ligeiramente, no vapor, em água ou em sopas, ou saltear essas verduras na manteiga

terça-feira, 12 de julho de 2016

Bolo de laranja sem glúten, sem leite, sem ovo

Ingredientes

  • 1 copo (200ml) de suco de laranja
  • 1/2 copo de óleo
  • 1 copo cheio de açúcar
  • 1 pitada de sal
  • 2 copos e 1/2 de farinha de arroz
  • 1 colher (sopa) bem cheia de fermento em pó
  • 1 colher (café) de farinha de linhaça (ela substitui o ovo)

Modo de preparo

  1. Bata todos os ingredientes no liquidificador.
  2. Coloque em uma forma untada com óleo.
  3. Leve ao forno médio, pré-aquecido, por cerca de 40 minutos ou até dourar. Rendimento: 8 porções

Tempo de preparo

50 minutos

PÃO MULTIGRÃOS (SEM GLÚTEN, SEM LEITE, SEM OVO, SEM SOJA)

Ingredientes:
– 2 e 1/4 xícaras (chá) de farinha de arroz;
– 1 xícara (chá) de fécula de batata;
– 1/2 xícara (chá) de polvilho doce;
– 1 colher (café) de goma xantana:
– 1 e 1/2 xícaras (chá) de leite de inhame morno;
– 1/2 xícara (chá) de óleo;
– 2 colheres (sopa) rasas de açúcar mascavo;
– 1 colher (sopa) rasa de sal;
– 4 colheres (sopa) cheias de purê de inhame;
– 1 colher (sopa) cheia de sementes de linhaça dourada;
– 1 colher (sopa) cheia de sementes de linhaça marrom;
– 1 colher (sopa) cheia de sementes de chia;
– 1 colher (sopa) fermento biológico seco.
Mãos à obra:
1. Em um recipiente, coloque a farinha de arroz, a fécula de batata, o polvilho doce, a goma xantana e o fermento.
2. Mexa bem até uniformizar completamente as farinhas.
3. Acrescente as sementes ao mix de farinhas.
4. Bata no liquidificador os demais ingredientes, até formar uma massa líquida.
5. Junte essa massa às farinhas e misture até  ficar homogêneo.
6. Unte e polvilhe uma forma para pães com farinha de arroz, em seguida despeje a massa.
7. Salpique  algumas sementes em cima do pão.
8. Cubra o pão e deixe descansar por 50 minutos ou até dobrar de volume.
9. Preaqueça o forno a 180º (temperatura média).
10. Leve o pão ao forno para assar por aproximadamente 45-50 minutos ou até ficar douradinho.
11. Espere esfriar bem antes de fatiá-lo.
Receita Menu Bacana

PÃO DE BATATA DOCE COM SEMENTES DE LINHAÇA (SEM GLÚTEN, SEM LEITE, SEM OVO, SEM SOJA)

Ingredientes:
– 1 e 3/4  xícaras (chá) de farinha de arroz;
– 2  xícaras (chá) de fécula de batata;
– 1 e 1/2 xícaras (chá) de polvilho doce;
– 1 colher (sopa) rasa de goma xantana;
– 2 colheres (sopa) fermento biológico seco;
– 2 e 1/2 xícara (chá) de leite de inhame morno;
– 1/2 xícara (chá) de água morna;
– 1/2 xícara (chá) de azeite;
– 3 colheres (sopa) de purê de batata doce branca;
– 2 colheres (sopa) de purê de inhame;
– 3 colheres (sopa)  de açúcar demerara;
– 1 colher (sopa) de sal;
– 2 colheres (sopa) de farinha de linhaça dourada;
– 2 colheres (sopa) de sementes de linhaça dourada.
Mãos à obra:
1. Em um recipiente, coloque a farinha de arroz, a fécula de batata, o polvilho doce, a goma xantana e o fermento.
2. Mexa bem até uniformizar completamente as farinhas.
3. Bata no liquidificador os demais ingredientes, com exceção das sementes de linhaça dourada, até formar uma massa líquida.
4. Junte essa massa às farinhas e misture até  ficar homogêneo.
5. Acrescente as  sementes de linhaça dourada e mexa delicadamente.
6. Unte e polvilhe uma forma para pães com farinha de arroz, em seguida despeje a massa.
7. Salpique sementes de linhaça dourada em cima do pão.
8. Cubra o pão e deixe descansar por 50 minutos ou até dobrar de volume.
9. Preaqueça o forno a 180º (temperatura média).
10. Leve o pão ao forno para assar por aproximadamente 45-50 minutos ou até ficar douradinho.
11. Espere esfriar completamente antes de fatiá-lo.
Receita MENU BACANA

TOSTEX – PÃOZINHO DE FRIGIDEIRA (SEM GLÚTEN, SEM LEITE, SEM OVO, SEM SOJA)

Ingredientes:
– 5  colheres (sopa) de leite vegetal ou água;
– 1 colher (sopa) bem cheia de farinha de arroz ou farinha de quinoa;
– 1 colher (sopa) bem cheia de fécula de batata ou araruta;
– 1 colher (sopa) de purê de inhame;
– 1 colher (sobremesa) de azeite de oliva;
– 1 colher (chá) de polvilho doce;
– 1 colher (chá) de farinha de linhaça dourada;
– 1 colher (café) de fermento em pó.
– sal a gosto.
Mãos à obra:
1. Em um recipiente, misture todos os ingredientes, com exceção do fermento, usando um batedor de mão (fouet), até formar uma massa homogênea.
2. Acrescente o fermento e misture delicadamente.
3. Unte uma frigideira antiaderente com um fio de óleo para evitar que a massa grude no fundo e leve ao fogo brando.
4. Coloque a massa utilizando a medida de uma concha e tampe a frigideira. O ponto ideal para virar o pão é quando começar a formar bolhinhas em cima da massa.
5. Vire a massa, tampe a frigideira e deixe fritar do outro lado.
6. Retire o pão da frigideira, acrescente o recheio de sua preferência e corte ao meio antes de servir.
Receita MENU BACANA

PÃO DE Q DE INHAME (SEM GLÚTEN, SEM LEITE, SEM OVO, SEM SOJA)


Ingredientes:

– 2 e 1/2 xícaras (chá) de inhame cozido e triturado;

– 2 xícaras (chá) de polvilho azedo;

– 2 xícaras (chá) de polvilho doce;

– 1/2 xícara (chá) de azeite;

– sal a gosto.

Mãos à obra:

Bater o inhame no liquidificador ou mixer. Misturar com o restante dos ingredientes e se necessário, colocar mais polvilho ou um pouco de água até ficar com a consistência parecida com a massa da foto, mais firminha. Unte uma forma e pré-aqueça o forno a 220º. Passe óleo ou azeite nas mãos e modele os pãezinhos. Leve ao forno por aproximadamente 30 minutos.

Dica Bacana – Direto pro Freezer!

Ótima opção pra congelar. Basta untar as mãos com óleo ou azeite, enrolar os pãezinhos em forma de bolinhas, colocando-as lado a lado em uma assadeira e levá-las ao freezer até congelar. Após, acondicione as bolinhas em saco plástico e em quantidade suficiente para o consumo imediato (quentinhos os pãezinhos são mais gostosos!). Para assar,  separe em assadeira as bolinhas ainda congeladas e leve-as ao forno pré-aquecido a 220º por 30 minutos, aproximadamente.

Receita de MENU BACANA
Disponível em: https://menubacana.com/2015/02/19/pao-de-q-inhame-sem-leite-sem-ovo-sem-soja/

quinta-feira, 31 de março de 2016

Para se deliciar no lanche da tarde

Bolo salgado de liquidificador

Massa:
400 gramas de farinha de trigo sem guten
400 ml de leite vegetal (de amendoas ou de arroz)
3 colheres de óleo de palma
2 colheres de sopa de farinha de linhaça
1 colher de sobremesa de fermento em pó
folhas de hortelã picadas a gosto (opcional)
temperos a gosto
sal a gosto

Bata a massa no liquidificador. Ela precisa ficar cremosa e não líquida, se considerar que precisa de mais um pouco de leite vegetal, basta acrescentar aos poucos.

Recheio:
1/2 couve-flor média
3 cenouras pequenas
3 batatas médias
200 gramas de milho verde (dê preferência a alimentos frescos)
Obs: o recheio é de legumes e você pode utilizar outros legumes que tiver em casa.

Pique os legumes e cozinhe com pouca água (lembre que a cenoura e o milho levam mais tempo para cozinhar do que a batata e a couve flor) e sal a gosto. Depois, escoe a água restante (pode ser reservada para usar em alguma outra receita) refogue com os temperos de sua preferência.

Para montar o bolo salgado:

Em uma forma de silicone, coloque uma camada da massa, em seguida recheie com os legumes e, por fim, coloque mais uma camada da massa. Leve ao forno (pré-aquecido) por 35 minutos ou até ficar dourado e assado.

Espere esfriar, corte e sirva.

domingo, 24 de janeiro de 2016

Misericórdia com os animais



Ser vegetariano não é uma escolha fácil em um mundo onde a cultura de comemorar implica em reunir pessoas em prol de comer. A vida social que é valorizada requer o sacrifício dos animais, pois estes, na maioria das vezes, estão nos principais pratos consumidos nas comemorações.

É mais fácil não pensar ou não avaliar de onde vem aquela tão saborosa carne que é consumida. Mas o mundo atual vem mudando tanto, que hoje é preciso refletir em tudo o que está ocorrendo no planeta e em nossas vidas.

A OMS já divulgou que a carne processada é um dos piores inimigos da saúde e causa câncer. Mas , para além do que a saúde requer, é importante pensar o que o ser humano conquistou se colocando no topo da cadeia alimentar: rios e mares poluídos, ar irrespirável em muitos países, animais morrendo, florestas sendo devastadas, o avanço de inúmeras doenças.

É hora de refletir e compreender que é preciso ter misericórdia, palavra latina que é formada pela conjunção de miserere (ter compaixão) e cordis (coração). O que implica olhar para o sofrimento alheio.

Mais do que um modismo, o vegetarianismo é uma escolha consciente e filosófica, daqueles que compreendem que os animais também são seres vivos, que possuem alma e que não merecem estar submetidos a sofrimentos.

É fácil apreender isso quando se trata de um animal de estimação, contudo também é muito fácil fazer vista grossa ou não expandir essa misericórdia para todos os outros animais. Quando se compreende que não há diferença de um animal que é criado como sendo da família e aquele que é criado longe dos olhos, que não é a proximidade de uma pessoa que torna um animal mais ou menos merecedor de misericórida e respeito, então depara-se com a internalização de que assim como o ser humano merece respeito, todos os animais também merecem.

Dessa forma, se tornar vegetariano ou vegano (subtração total de todos os produtos de origem animal, incluindo leite, manteiga e derivados) não é um sacrifício e, sim, uma atitude perante a vida. Uma atitude que requer a consciência de que golfinhos, cães, gatos, porcos, peixes, ovelhas, cavalos, vacas e todos os animais são nossos irmãos na Terra e que não devem, de forma alguma, ser maltratados.

Por um mundo com mais consciência e menos sofrimento!