quarta-feira, 13 de julho de 2016

CURSO DE CULINÁRIA VEGETARIANA


Próxima turma - 13/08/16 

Horário: 09h as 13h30

Aprenda na prática!

Pratos saudáveis para a alimentação do dia a dia, receitas sem glúten e sem lactose, com elementos que podem ser facilmente incluídos na sua dieta.
Aprenda na prática a fazer uma deliciosa feijoada vegetariana, estrogonofe de palmito, lasanha especial sem glúten, dentre outros pratos.
Extra:
Receitas de leites vegetais
Receitas de diversos pratos
Receitas de saladas diversas
Receitas de sucos naturais
Dicas de alimentação saudável

Informações e inscrições:
http://www.isec.psc.br/?p=4111

terça-feira, 12 de julho de 2016

Bolo de laranja sem glúten, sem leite, sem ovo

Ingredientes

  • 1 copo (200ml) de suco de laranja
  • 1/2 copo de óleo
  • 1 copo cheio de açúcar
  • 1 pitada de sal
  • 2 copos e 1/2 de farinha de arroz
  • 1 colher (sopa) bem cheia de fermento em pó
  • 1 colher (café) de farinha de linhaça (ela substitui o ovo)

Modo de preparo

  1. Bata todos os ingredientes no liquidificador.
  2. Coloque em uma forma untada com óleo.
  3. Leve ao forno médio, pré-aquecido, por cerca de 40 minutos ou até dourar. Rendimento: 8 porções

Tempo de preparo

50 minutos

PÃO MULTIGRÃOS (SEM GLÚTEN, SEM LEITE, SEM OVO, SEM SOJA)

Ingredientes:
– 2 e 1/4 xícaras (chá) de farinha de arroz;
– 1 xícara (chá) de fécula de batata;
– 1/2 xícara (chá) de polvilho doce;
– 1 colher (café) de goma xantana:
– 1 e 1/2 xícaras (chá) de leite de inhame morno;
– 1/2 xícara (chá) de óleo;
– 2 colheres (sopa) rasas de açúcar mascavo;
– 1 colher (sopa) rasa de sal;
– 4 colheres (sopa) cheias de purê de inhame;
– 1 colher (sopa) cheia de sementes de linhaça dourada;
– 1 colher (sopa) cheia de sementes de linhaça marrom;
– 1 colher (sopa) cheia de sementes de chia;
– 1 colher (sopa) fermento biológico seco.
Mãos à obra:
1. Em um recipiente, coloque a farinha de arroz, a fécula de batata, o polvilho doce, a goma xantana e o fermento.
2. Mexa bem até uniformizar completamente as farinhas.
3. Acrescente as sementes ao mix de farinhas.
4. Bata no liquidificador os demais ingredientes, até formar uma massa líquida.
5. Junte essa massa às farinhas e misture até  ficar homogêneo.
6. Unte e polvilhe uma forma para pães com farinha de arroz, em seguida despeje a massa.
7. Salpique  algumas sementes em cima do pão.
8. Cubra o pão e deixe descansar por 50 minutos ou até dobrar de volume.
9. Preaqueça o forno a 180º (temperatura média).
10. Leve o pão ao forno para assar por aproximadamente 45-50 minutos ou até ficar douradinho.
11. Espere esfriar bem antes de fatiá-lo.
Receita Menu Bacana

PÃO DE BATATA DOCE COM SEMENTES DE LINHAÇA (SEM GLÚTEN, SEM LEITE, SEM OVO, SEM SOJA)

Ingredientes:
– 1 e 3/4  xícaras (chá) de farinha de arroz;
– 2  xícaras (chá) de fécula de batata;
– 1 e 1/2 xícaras (chá) de polvilho doce;
– 1 colher (sopa) rasa de goma xantana;
– 2 colheres (sopa) fermento biológico seco;
– 2 e 1/2 xícara (chá) de leite de inhame morno;
– 1/2 xícara (chá) de água morna;
– 1/2 xícara (chá) de azeite;
– 3 colheres (sopa) de purê de batata doce branca;
– 2 colheres (sopa) de purê de inhame;
– 3 colheres (sopa)  de açúcar demerara;
– 1 colher (sopa) de sal;
– 2 colheres (sopa) de farinha de linhaça dourada;
– 2 colheres (sopa) de sementes de linhaça dourada.
Mãos à obra:
1. Em um recipiente, coloque a farinha de arroz, a fécula de batata, o polvilho doce, a goma xantana e o fermento.
2. Mexa bem até uniformizar completamente as farinhas.
3. Bata no liquidificador os demais ingredientes, com exceção das sementes de linhaça dourada, até formar uma massa líquida.
4. Junte essa massa às farinhas e misture até  ficar homogêneo.
5. Acrescente as  sementes de linhaça dourada e mexa delicadamente.
6. Unte e polvilhe uma forma para pães com farinha de arroz, em seguida despeje a massa.
7. Salpique sementes de linhaça dourada em cima do pão.
8. Cubra o pão e deixe descansar por 50 minutos ou até dobrar de volume.
9. Preaqueça o forno a 180º (temperatura média).
10. Leve o pão ao forno para assar por aproximadamente 45-50 minutos ou até ficar douradinho.
11. Espere esfriar completamente antes de fatiá-lo.
Receita MENU BACANA

TOSTEX – PÃOZINHO DE FRIGIDEIRA (SEM GLÚTEN, SEM LEITE, SEM OVO, SEM SOJA)

Ingredientes:
– 5  colheres (sopa) de leite vegetal ou água;
– 1 colher (sopa) bem cheia de farinha de arroz ou farinha de quinoa;
– 1 colher (sopa) bem cheia de fécula de batata ou araruta;
– 1 colher (sopa) de purê de inhame;
– 1 colher (sobremesa) de azeite de oliva;
– 1 colher (chá) de polvilho doce;
– 1 colher (chá) de farinha de linhaça dourada;
– 1 colher (café) de fermento em pó.
– sal a gosto.
Mãos à obra:
1. Em um recipiente, misture todos os ingredientes, com exceção do fermento, usando um batedor de mão (fouet), até formar uma massa homogênea.
2. Acrescente o fermento e misture delicadamente.
3. Unte uma frigideira antiaderente com um fio de óleo para evitar que a massa grude no fundo e leve ao fogo brando.
4. Coloque a massa utilizando a medida de uma concha e tampe a frigideira. O ponto ideal para virar o pão é quando começar a formar bolhinhas em cima da massa.
5. Vire a massa, tampe a frigideira e deixe fritar do outro lado.
6. Retire o pão da frigideira, acrescente o recheio de sua preferência e corte ao meio antes de servir.
Receita MENU BACANA

PÃO DE Q DE INHAME (SEM GLÚTEN, SEM LEITE, SEM OVO, SEM SOJA)


Ingredientes:

– 2 e 1/2 xícaras (chá) de inhame cozido e triturado;

– 2 xícaras (chá) de polvilho azedo;

– 2 xícaras (chá) de polvilho doce;

– 1/2 xícara (chá) de azeite;

– sal a gosto.

Mãos à obra:

Bater o inhame no liquidificador ou mixer. Misturar com o restante dos ingredientes e se necessário, colocar mais polvilho ou um pouco de água até ficar com a consistência parecida com a massa da foto, mais firminha. Unte uma forma e pré-aqueça o forno a 220º. Passe óleo ou azeite nas mãos e modele os pãezinhos. Leve ao forno por aproximadamente 30 minutos.

Dica Bacana – Direto pro Freezer!

Ótima opção pra congelar. Basta untar as mãos com óleo ou azeite, enrolar os pãezinhos em forma de bolinhas, colocando-as lado a lado em uma assadeira e levá-las ao freezer até congelar. Após, acondicione as bolinhas em saco plástico e em quantidade suficiente para o consumo imediato (quentinhos os pãezinhos são mais gostosos!). Para assar,  separe em assadeira as bolinhas ainda congeladas e leve-as ao forno pré-aquecido a 220º por 30 minutos, aproximadamente.

Receita de MENU BACANA
Disponível em: https://menubacana.com/2015/02/19/pao-de-q-inhame-sem-leite-sem-ovo-sem-soja/

quinta-feira, 26 de maio de 2016

CURSO DE CULINÁRIA VEGETARIANA

TESTA

CURSO DE CULINÁRIA VEGETARIANA

Dia 04/06/2016 De 09h00 as 13h30

Local: ISEC de Copacabana

Aprenda na prática!

Feijoada vegetariana
Lasanha de legumes (com massa sem gluten)
Panqueca com creme de espinafre (sem gluten e sem lactose)
Estrogonofe de palmito
Hambúrguer de lentilhas
Hambúrguer de legumes
Caldo verde de inhame com tofu defumado
Creme de milho com batata
Nuggets veganos
Molho de tomate natural

Extra:

Receitas de diversos pratos
Receitas de saladas diversas
Receitas de sucos naturais
Dicas de alimentação saudável

Valor R$ 250,000

Apenas 6 vagas

Obs: cada participante deverá levar alguns ingredientes que serão enviados por e-mail no ato da inscrição, bem como 1 pote (tupperware), pois, ao final, será servido o almoço, e nada ficará nas panelas. Será uma manhã para aprender e se divertir!


FAÇA A SUA INSCRIÇÃO CLIQUE AQUI 

quinta-feira, 31 de março de 2016

Para se deliciar no lanche da tarde

Bolo salgado de liquidificador

Massa:
400 gramas de farinha de trigo sem guten
400 ml de leite vegetal (de amendoas ou de arroz)
3 colheres de óleo de palma
2 colheres de sopa de farinha de linhaça
1 colher de sobremesa de fermento em pó
folhas de hortelã picadas a gosto (opcional)
temperos a gosto
sal a gosto

Bata a massa no liquidificador. Ela precisa ficar cremosa e não líquida, se considerar que precisa de mais um pouco de leite vegetal, basta acrescentar aos poucos.

Recheio:
1/2 couve-flor média
3 cenouras pequenas
3 batatas médias
200 gramas de milho verde (dê preferência a alimentos frescos)
Obs: o recheio é de legumes e você pode utilizar outros legumes que tiver em casa.

Pique os legumes e cozinhe com pouca água (lembre que a cenoura e o milho levam mais tempo para cozinhar do que a batata e a couve flor) e sal a gosto. Depois, escoe a água restante (pode ser reservada para usar em alguma outra receita) refogue com os temperos de sua preferência.

Para montar o bolo salgado:

Em uma forma de silicone, coloque uma camada da massa, em seguida recheie com os legumes e, por fim, coloque mais uma camada da massa. Leve ao forno (pré-aquecido) por 35 minutos ou até ficar dourado e assado.

Espere esfriar, corte e sirva.

domingo, 24 de janeiro de 2016

Misericórdia com os animais



Ser vegetariano não é uma escolha fácil em um mundo onde a cultura de comemorar implica em reunir pessoas em prol de comer. A vida social que é valorizada requer o sacrifício dos animais, pois estes, na maioria das vezes, estão nos principais pratos consumidos nas comemorações.

É mais fácil não pensar ou não avaliar de onde vem aquela tão saborosa carne que é consumida. Mas o mundo atual vem mudando tanto, que hoje é preciso refletir em tudo o que está ocorrendo no planeta e em nossas vidas.

A OMS já divulgou que a carne processada é um dos piores inimigos da saúde e causa câncer. Mas , para além do que a saúde requer, é importante pensar o que o ser humano conquistou se colocando no topo da cadeia alimentar: rios e mares poluídos, ar irrespirável em muitos países, animais morrendo, florestas sendo devastadas, o avanço de inúmeras doenças.

É hora de refletir e compreender que é preciso ter misericórdia, palavra latina que é formada pela conjunção de miserere (ter compaixão) e cordis (coração). O que implica olhar para o sofrimento alheio.

Mais do que um modismo, o vegetarianismo é uma escolha consciente e filosófica, daqueles que compreendem que os animais também são seres vivos, que possuem alma e que não merecem estar submetidos a sofrimentos.

É fácil apreender isso quando se trata de um animal de estimação, contudo também é muito fácil fazer vista grossa ou não expandir essa misericórdia para todos os outros animais. Quando se compreende que não há diferença de um animal que é criado como sendo da família e aquele que é criado longe dos olhos, que não é a proximidade de uma pessoa que torna um animal mais ou menos merecedor de misericórida e respeito, então depara-se com a internalização de que assim como o ser humano merece respeito, todos os animais também merecem.

Dessa forma, se tornar vegetariano ou vegano (subtração total de todos os produtos de origem animal, incluindo leite, manteiga e derivados) não é um sacrifício e, sim, uma atitude perante a vida. Uma atitude que requer a consciência de que golfinhos, cães, gatos, porcos, peixes, ovelhas, cavalos, vacas e todos os animais são nossos irmãos na Terra e que não devem, de forma alguma, ser maltratados.

Por um mundo com mais consciência e menos sofrimento!

Spirulina: a alga com mais proteínas que a carne


Este texto foi publicado por Dr. Rondó em http://www.drrondo.com/spirulina-a-alga-com-mais-proteinas-que-a-carne/









A Spirulina é uma alga verde azulada, um poderoso super alimento com alta concentração de proteínas, vitaminas, antioxidantes e outros nutrientes. É muito usada em sucos verdes e smoothies. Cresce em lagos alcalinos no México e no Continente Africano, mas seu maior produtor e consumidor é o Japão.

Os benefícios da Spirulina são tão reconhecidos que a Nasa e a Agência Espacial Europeia estão pesquisando sobre a possibilidade de incluí-la na alimentação de astronautas em viagens espaciais. Não é por acaso: sua concentração de proteínas, por exemplo, é de 50 a 70% de proteína por peso, maior até que a da carne vermelha, que tem cerca de 27%. Além disso, é altamente digerível por não ter celulose na parede, como levedura e clorela. A alga é usada também para tratar desnutrição em crianças, tendo alcançado resultados de melhora de QI, em comparação com crianças que não a consomem.
 

Outras excelentes qualidades da Spirulina:

    Contém todos os aminoácidos essenciais.
    Riquíssima em vitaminas, em especial a B12 e K.
    Fonte de ácido gama linoléico (GLA), raramente encontrado nessa concentração em outro alimento.
    Alta concentração de minerais (cálcio, magnésio, manganês, potássio, zinco e ferro).
    Apresenta Methalo-theonine, uma proteína relacionada a metais que se liga a isótopos radioativos pesados e Sulfolipides, que protege contra vírus do HIV.
    Rica em iodo.
    Contém fotoquímicos, como a clorofila, carotenoides e fitocianina.
    Baixa concentração de carboidrato.

Indicações:

    Melhora o perfil lipídico;
    Melhora a elasticidade vascular;
    Controla hipertensão;
    Varre radicais livres;
    Diabetes tipo 2;
    Doenças cardiovasculares;
    Reduz sintomas de alergia;
    Protege contra o câncer;
    Reduz danos causados por exposição a metais pesados;
    Degeneração macular;
    Proteção contra radiação;
    Fortalece o sistema imunológico;
    Reduz sintomas de artrite;
    Cirrose não alcoólica;
    Doenças neurodegenerativas: Alzheimer e Parkinson;
    Protege contra radiação ionizante.

Segurança e dosagem:

A Spirulina é segura, mesmo em altas doses. Porém, quando cultivada em áreas poluídas ou de forma incorreta, pode acumular toxinas ambientais. Evite Spirulina proveniente do Japão ou proximidades, pelo fato da alta contaminação com radiação pelo acidente de Fukushima.

Comece a usá-la em dosagem baixa, cerca de 3.000 mg por dia para adultos e de 500 a 1.500 mg por dia para crianças, com objetivo preventivo.Dosagens terapêuticas variam de 10.000 a 20.000 mg por dia, no caso de adultos.

Sempre comece com pouca dosagem e vá aumentando gradativamente, para evitar reações de desintoxicação como febrícula, excesso de gases e sensação de sonolência excessiva, além de coceiras causadas pelo processo de desintoxicação muito rápido.Vale lembrar que há pessoas que não toleram a Spirulina, por sensibilidade. Nestes casos, a opção é utilizar a clorela, para se ter efeitos similares.



Referências bibliográficas:
  • Nutrition and Rheumatic Diseases/Rheumatic Disease Clinics of North America, May 1991;17(2):415-425.
  • Am Fam Physician, November 1, 2004;70(9):1731-1738.
  • Lipids Health Dis, 2007 Nov26.
  • Nutr Res Pract, 2008 Winter; 2(4): 295-300.
  • Ann NutrMetab, 2008; 52(4): 322-328.
  • Cell MolImmunol, 2011 Jan 31.
  • Med Sci Sports Exercise, 2010 Jan; 42(1): 142-51.