domingo, 24 de janeiro de 2016

Misericórdia com os animais



Ser vegetariano não é uma escolha fácil em um mundo onde a cultura de comemorar implica em reunir pessoas em prol de comer. A vida social que é valorizada requer o sacrifício dos animais, pois estes, na maioria das vezes, estão nos principais pratos consumidos nas comemorações.

É mais fácil não pensar ou não avaliar de onde vem aquela tão saborosa carne que é consumida. Mas o mundo atual vem mudando tanto, que hoje é preciso refletir em tudo o que está ocorrendo no planeta e em nossas vidas.

A OMS já divulgou que a carne processada é um dos piores inimigos da saúde e causa câncer. Mas , para além do que a saúde requer, é importante pensar o que o ser humano conquistou se colocando no topo da cadeia alimentar: rios e mares poluídos, ar irrespirável em muitos países, animais morrendo, florestas sendo devastadas, o avanço de inúmeras doenças.

É hora de refletir e compreender que é preciso ter misericórdia, palavra latina que é formada pela conjunção de miserere (ter compaixão) e cordis (coração). O que implica olhar para o sofrimento alheio.

Mais do que um modismo, o vegetarianismo é uma escolha consciente e filosófica, daqueles que compreendem que os animais também são seres vivos, que possuem alma e que não merecem estar submetidos a sofrimentos.

É fácil apreender isso quando se trata de um animal de estimação, contudo também é muito fácil fazer vista grossa ou não expandir essa misericórdia para todos os outros animais. Quando se compreende que não há diferença de um animal que é criado como sendo da família e aquele que é criado longe dos olhos, que não é a proximidade de uma pessoa que torna um animal mais ou menos merecedor de misericórida e respeito, então depara-se com a internalização de que assim como o ser humano merece respeito, todos os animais também merecem.

Dessa forma, se tornar vegetariano ou vegano (subtração total de todos os produtos de origem animal, incluindo leite, manteiga e derivados) não é um sacrifício e, sim, uma atitude perante a vida. Uma atitude que requer a consciência de que golfinhos, cães, gatos, porcos, peixes, ovelhas, cavalos, vacas e todos os animais são nossos irmãos na Terra e que não devem, de forma alguma, ser maltratados.

Por um mundo com mais consciência e menos sofrimento!

Spirulina: a alga com mais proteínas que a carne


Este texto foi publicado por Dr. Rondó em http://www.drrondo.com/spirulina-a-alga-com-mais-proteinas-que-a-carne/









A Spirulina é uma alga verde azulada, um poderoso super alimento com alta concentração de proteínas, vitaminas, antioxidantes e outros nutrientes. É muito usada em sucos verdes e smoothies. Cresce em lagos alcalinos no México e no Continente Africano, mas seu maior produtor e consumidor é o Japão.

Os benefícios da Spirulina são tão reconhecidos que a Nasa e a Agência Espacial Europeia estão pesquisando sobre a possibilidade de incluí-la na alimentação de astronautas em viagens espaciais. Não é por acaso: sua concentração de proteínas, por exemplo, é de 50 a 70% de proteína por peso, maior até que a da carne vermelha, que tem cerca de 27%. Além disso, é altamente digerível por não ter celulose na parede, como levedura e clorela. A alga é usada também para tratar desnutrição em crianças, tendo alcançado resultados de melhora de QI, em comparação com crianças que não a consomem.
 

Outras excelentes qualidades da Spirulina:

    Contém todos os aminoácidos essenciais.
    Riquíssima em vitaminas, em especial a B12 e K.
    Fonte de ácido gama linoléico (GLA), raramente encontrado nessa concentração em outro alimento.
    Alta concentração de minerais (cálcio, magnésio, manganês, potássio, zinco e ferro).
    Apresenta Methalo-theonine, uma proteína relacionada a metais que se liga a isótopos radioativos pesados e Sulfolipides, que protege contra vírus do HIV.
    Rica em iodo.
    Contém fotoquímicos, como a clorofila, carotenoides e fitocianina.
    Baixa concentração de carboidrato.

Indicações:

    Melhora o perfil lipídico;
    Melhora a elasticidade vascular;
    Controla hipertensão;
    Varre radicais livres;
    Diabetes tipo 2;
    Doenças cardiovasculares;
    Reduz sintomas de alergia;
    Protege contra o câncer;
    Reduz danos causados por exposição a metais pesados;
    Degeneração macular;
    Proteção contra radiação;
    Fortalece o sistema imunológico;
    Reduz sintomas de artrite;
    Cirrose não alcoólica;
    Doenças neurodegenerativas: Alzheimer e Parkinson;
    Protege contra radiação ionizante.

Segurança e dosagem:

A Spirulina é segura, mesmo em altas doses. Porém, quando cultivada em áreas poluídas ou de forma incorreta, pode acumular toxinas ambientais. Evite Spirulina proveniente do Japão ou proximidades, pelo fato da alta contaminação com radiação pelo acidente de Fukushima.

Comece a usá-la em dosagem baixa, cerca de 3.000 mg por dia para adultos e de 500 a 1.500 mg por dia para crianças, com objetivo preventivo.Dosagens terapêuticas variam de 10.000 a 20.000 mg por dia, no caso de adultos.

Sempre comece com pouca dosagem e vá aumentando gradativamente, para evitar reações de desintoxicação como febrícula, excesso de gases e sensação de sonolência excessiva, além de coceiras causadas pelo processo de desintoxicação muito rápido.Vale lembrar que há pessoas que não toleram a Spirulina, por sensibilidade. Nestes casos, a opção é utilizar a clorela, para se ter efeitos similares.



Referências bibliográficas:
  • Nutrition and Rheumatic Diseases/Rheumatic Disease Clinics of North America, May 1991;17(2):415-425.
  • Am Fam Physician, November 1, 2004;70(9):1731-1738.
  • Lipids Health Dis, 2007 Nov26.
  • Nutr Res Pract, 2008 Winter; 2(4): 295-300.
  • Ann NutrMetab, 2008; 52(4): 322-328.
  • Cell MolImmunol, 2011 Jan 31.
  • Med Sci Sports Exercise, 2010 Jan; 42(1): 142-51.